Projetos Digitais: 5 passos que não podem faltar no seu planejamento

Se você é um empreendedor, dizer que o planejamento é algo primordial para a sua empresa e para as empresas em geral, sejam elas pequenas, médias ou grandes pode parecer algo óbvio, mas não são todas as empresas que levam isso a sério.

Isso porque é preciso entender que, no âmbito empresarial, o planejamento é uma tarefa muito importante para todas as áreas de uma empresa. Um mau planejamento pode acarretar em custos muito elevados e até na extinção do projeto em questão e, em casos extremos, até no fechamento da empresa.

Para desenvolver um bom planejamento de projetos digitais, a primeira pergunta que você precisa responder é a seguinte: “O que devo fazer para alcançar meus objetivos?”

Para responder a essa pergunta, surgirão diversas outras questões, por isso, separei aqui, “5 passos que não podem faltar no seu planejamento”. Esses passos ou tópicos podem ajudar a sua empresa a desenvolver um planejamento de projetos digitais de qualidade.

1. Definição de Produto

Quais são os produtos ou serviços que deverão gerar receita para este projeto?

É preciso que, não só as equipes de marketing e de vendas tenham a resposta para essa pergunta na ponta da língua, como também todos os funcionários envolvidos no projeto.

Sem uma definição clara de “O que está sendo vendido/oferecido” no projeto em questão, pode ocorrer, futuramente, dúvidas que irão atrapalhar todo o processo.

Se a sua empresa vende muitos produtos ou oferece diversos tipos de serviços, é preciso que cada um deles seja listado e detalhado para toda a equipe envolvida em cada um dos projetos, para que não reste dúvida alguma em nenhum dos membros da equipe.

Um time que não conhece muito bem o produto que está vendendo/oferecendo terá dificuldades de acreditar que aquele produto é competitivo e, consequentemente, os resultados não serão razoáveis.

2. Definição de Público

Qual é o perfil médio do público que você quer atingir com este projeto específico?

Tão importante quanto conhecer o seu produto ou serviço detalhadamente é conhecer o seu público-alvo. As pessoas que você pretende atingir com suas campanhas futuras e que irão lhe garantir o ROI (Retorno sobre Investimento – sigla em inglês) sobre o projeto em questão.

Quando falamos em definição de público-alvo, dificilmente você identificará apenas um perfil de usuário que poderá se interessar pelo seu produto ou serviço.

É justamente por esse motivo que as pesquisas de mercado são tão importantes neste tópico. Sem elas, você só terá suposições, e basear todo um planejamento em suposições pode levar a sua empresa à falência.

Faça pesquisas de mercado considerando os usuários de internet que já compram produtos semelhantes aos seus, de seus concorrentes.

Se você já tem uma base de clientes ativos, que já compram seus produtos e/ou serviços e você está desenvolvendo um novo projeto digital para um novo segmento de produto, você deve usar essa base para identificar quais desses clientes comprariam o seu novo produto e quanto eles estão dispostos a pagar.

Depois de ter feito as pesquisas cabíveis ao que se refere ao público-alvo, tenha em mente que cada projeto terá suas vantagens etambém seus entraves. Por isso, não basta apenas identificar o perfil ou os perfis de público-alvo: você também deve analisá-los e segmentá-los em subgrupos, a fim de compreender bem cada um deles.

Depois que você já entendeu cada um dos subgrupos e seus perfis, você terá condições de direcionar a sua mensagem para cada um deles, o que facilitará, e muito, o seu processo de prospecção de clientes.

Para fechar este tópico, lembre-se dessa frase do guru do Marketing de Serviços Philip Kotler: “Se você criar um caso de amor com seus clientes, eles próprios farão sua publicidade”.

3. Planejamento de Ações

Agora que você já tem a definição completa do seu produto ou serviço e seu público-alvo, você precisa pensar no seguinte: “Como, quando e onde eu encontro esses usuários e o que eu devo lhes informar para que eles tenham interesse em comprar os meus produtos/serviços?”

O planejamento de ações é tão importante que podemos afirmar, com certeza, que nenhum projeto terá sucesso sem um bom planejamento de ações.

O ideal é que você desenvolva um cronograma de ações usando todos os seus canais de comunicação e desenvolva um planejamento para cada uma das ações e canais.

Exemplo:

Se você está lançando um novo produto e um dos canais de comunidação que você usará para informar aos seus clientes sobre o mesmo for o e-mail marketing, você pode estabelecer o seguinte planejamento de ações:

1 – Envio de e-mail marketing teaser 1 (data: xx/xx); 2 – Envio de e-mail marketing teaser 2 (data: xx/xx); 3 – Envio de e-mail marketing teaser 3 (data: xx/xx); 4 – Envio de e-mail marketing de lançamento do produto com promoção para a semana de lançamento (data: xx/xx); e 5 – Envio de e-mail marketing com lembrete que a campanha/promoção é por tempo limitado (data: xx/xx).  Lembrando que esse é apenas um exemplo, você precisará desenvolver esse mesmo planejamento para todas as outras ações e canais como links patrocinados no Google Adwords e anúncios no Facebook Ads, entre outros.

Esse cronograma pode ser feito em uma planilha no Excel, contendo o calendário dos próximos 12 meses, as ações, os canais de comunicação e as estratégias de cada canal.

Mas todo esse planejamento não será colocado em prática sem que você pense nos custos. E é aí que vem o quarto item desta lista de passos.

4. Estrutura de Custos

Sem desenvolver uma estrutura sólida de custos, você não terá controle do que está gastando com publicidade e outras despesas. E isso não é aceitável. Você precisa saber quanto você gasta para poder calcular o seu ROI.

Esse controle de custos pode ser feito numa  planilha bem simples em Excel, onde você incluirá: seus custos fixos anuais, os custos variáveis relacionados aos produtos ou serviços em questão e uma estimativa de investimentos necessários ao longo do período que está sendo planejado (aconselho que o planejamento seja feito para um período de 12 meses).

Agora que você já tem sua estrutura de custos montada, é hora de planejar o retorno.

5. Estimativa de Receita

Quanto você pretente gerar de receita dentro do mesmo período que planejou para seus custos e ações?

Aqui você deve fazer uma estimativa de faturamentos mensais, levando em consideração a sazonalidade e seus custos fixos e variáveis.

É nesse ponto também que você definirá a sua estratégia de precificação e os meios de pagamento que serão aceitos neste projeto específico.

A minha dica neste tópico é que você seja extremamente realista, considerando que os resultados podem chegar antes ou depois do previsto. E ainda baseie sua estimativa de receita em dados reais e comprovados fazendo pesquisas de mercado, orçamentos e debatendo com as suas equipes de vendas e de marketing.

Em breve publicarei outro artigo falando um pouco mais sobre Projetos Digitais.

Espero que este artigo tenha ajudado a sua empresa.


Autor: Jefferson de Baumont

Via: Roxane Baumont


e-Book Performance Digital

Já imaginou ter acesso aos principais processos e boas práticas utilizados por grandes agências de propaganda e marketing para planejamento, implementação, acompanhamento e apresentação de resultados de campanhas de Mídia Digital?