PÁPRICA

Uma das finalidades dos temperos e especiarias é de realçar e fazer parte da composição de um prato de refeição.

Nesse aspecto, a páprica tem suas vantagens, pois tem variações: páprica doce, páprica picante e páprica defumada. Além disso, oferece uma coloração toda peculiar.

ORIGEM

Originária da América Latina, especialmente da Central e do México, a páprica – Capsicum annuum – oferece muitos elementos benéficos à saúde.

Em forma de um pó vermelho ou amarelo, ela é feita a partir de pimentões e pimentas. E seu nome é de origem húngara, sendo a Hungria um dos países que mais fornecece e produz o condimento no mundo.

Os pimentões são colocados para secar ao ar livre e depois são moídos para consumo.

Também é muito utilizada na Península Ibérica para dar cor e sabor aos alimentos.

Nos países do Golfo Pérsico, é um ingrediente indispensável para a preparação de pratos característicos. 

USOS

Por ser muito versátil, a páprica pode ser usada de maneiras diferentes:

  1. Sopas, de diversos tipos;
  2. Legumes refogados;
  3. Carnes diversas, tanto bovina quanto suína;
  4. Ovos cozidos e batatas cozidas;
  5. Gulache* – uma iguaria húngara de caldo grosso feito com vegetais e carnes (pode ser somente a bovina ou ainda a bovina e a suína, cortadas em cubos).

Ainda poderiam ser citados outros usos para a páprica, seja ela doce, picante ou defumada. Vai depender o que ficar melhor ao paladar.

BENEFÍCIOS

Como é feita de pimentão, que é um tipo de pimenta, a páprica é rica em vitamina C, que é antioxidante que ajuda na cicatrização, também na formação do colágeno e para a manutenção da boa imunidade do nosso cropo.

A páprica possui vitaminas A, B6, K1 e mais potássio e cobre. Todos esses elementos são de vital utilidade ao metabolismo orgânico, melhoram a coagulação sanguínea, fazem bem aos olhos, diminuem o risco de doenças cardíacas e auxiliam no bom funcionamente dos neurônios cerebrais.

Com ação anti-inflamatória, a páprica vem sendo muito aproveitada; e sua ação digestiva ajuda a regular problemas estomacais, mas não deve ser consumida em excesso.

Seu princípio picante – a capsaicina – aperece em pequenas proporções, não sendo um problema para a ingestão. O seu sabor é decorrente de um óleo essencial composto por ácidos graxos e ésteres, hidrocarbonetos e vitamina C.

A páprica é encontrada tanto na coloração vermelha quanto amarela.

RECEITA DE GULACHE* (goulash)

INGREDIENTES

  • 1 kg de alcatra
  • 1 colher (de sopa) de manteiga
  • 1 cebola picada
  • 1 colher (de sopa) de farinha de trigo
  • 4 xícaras (de chá) de água
  • Sal a gosto
  • 1 colher (de chá) de páprica picante
  • 1/2 kg de batatas picadas em cubos
  • 3 cenouras picadas em rodelas (opcional)
  • 200 g de vagem (opcional)

MODO DE PREPARO

  • Corte a carne em cubos de 2 cm, deixe fritar na manteiga (no fogo alto), acrescente a cebola e dê uma douradinha. Coloque a farinha de trigo aos poucos mexendo bem.
  • Junte água quente, ferva por 10 minutos, tempere com sal e páprica, tampe a panela e deixe cozinhar até amaciar a carne.
  • Antes de servir, junte as batatas, a vagem e a cenoura e deixe cozinhar por cerca de 20 minutos em fogo médio/baixo.
  • Depois é só servir e aproveitar a delícia!