O perfume e as peles

O perfume e as peles

 

Para entender como o perfume funciona na nossa pele, é preciso levar em conta alguns fatores. O primeiro é o aroma natural que as pessoas têm, livre de qualquer fragrância, que varia de acordo com várias particularidades. Cada um tem um aroma diferente, pois carrega uma carga genética diferente, passada de gerações em gerações, que foi mudando e continua mudando de acordo com a alimentação adquirida, o clima predominante no local onde a pessoa mora, as bactérias com que essa pessoa tem contato, os medicamentos tomados, os vícios, como consumo de cigarro e álcool, e até mesmo o sistema hormonal da pessoa, que influencia principalmente no seu cheiro natural, etc. Enfim, uma série de fatores que vão influenciar na hora em que ocorrer a reação química entre o perfume e as substâncias presentes na pele do usuário.

 

Por outro lado, alguns aromas são enjoativos para algumas pessoas e para outras, não. Não é só uma questão de gosto e sim de olfato. Isto é, alguns acham extremamente enjoativos os perfumes adocicados, outros têm dor de cabeça quando sentem perfumes muito fortes. Cada um tem uma tolerância aos cheiros que variam de acordo com o grau de sensibilidade do nosso nariz. Outro fator importante são os hormônios. De acordo com nosso “momento hormonal”, podemos gostar de algum aroma ou detestar. É muito comum, por exemplo, algumas mulheres gestantes sentirem náusea ao perceberem alguns cheiros. Pois os hormônios influenciam muito em nossa resposta a qualquer estímulo provocado em nossos sentidos, no caso, o olfato. Não devemos nos esquecer do fato de que muitas pessoas simplesmente não toleram perfume, pois são alérgicas.

 

Como descrito anteriormente, o tipo de pele desenvolvido pela pessoa é o principal fator determinante na reação química entre o perfume e a pele. Os tipos de pele são: seca, oleosa e normal. Claro que ninguém tem toda a pele do corpo só de um tipo. Ela pode ser normal na maior parte e seca em algumas áreas, como cotovelo, pés, mãos. Ou oleosa no rosto e normal no restante do corpo. Além disso, existem áreas ressecadas, o que não significa que a pele seja seca, mas está faltando hidratação. Um bom truque para que o perfume tenha maior durabilidade é manter a pele sempre hidratada. O hidratante usado pode ser em creme, talco líquido ou óleo, podendo ser inclusive com a mesma fragrância do perfume em uso. Até mesmo alguns sabonetes têm hidratantes.

 

Para um melhor aproveitamento do aroma, segue abaixo uma orientação sobre duração. Ninguém é obrigado a segui-la, pois não adianta nada se você não gosta do cheiro, mas vai usar só porque dura mais. Se o seu bolso pode sustentar um perfume que pode ser borrifado mais vezes durante o dia do que outro, tudo bem. E se você não se importa em estar perfumado o tempo todo, relaxe. Basta que não deixe que o mau cheiro tome conta.

 

Na pele seca, a fragrância oriental é a mais adequada. Por ser um pouco áspera e mais opaca, dificulta a fixação do perfume, passando a impressão de que o perfume tem duração mais curta.

Na pele oleosa, os cítricos, florais e amadeirados são os mais indicados, pois têm uma fixação melhor, capaz de reter o aroma por mais tempo. Os óleos presentes em maior quantidade nessa pele são os responsáveis pela reação química que favorece a maior durabilidade dessas fragrâncias.

O grande coringa é a pele normal, pois todas as fragrâncias vão bem com ela. Isso acontece porque a fixação nesse tipo de pele é a ideal para qualquer fragrância, pelo fato de ela ser fina e suave.

 

Exceto os perfumes específicos para cabelo, como se sabe, todo perfume contém álcool, portanto, não se deve passá-lo nos cabelos, pois provoca ressecamento. Tampouco se deve passar nas mucosas, ou áreas genitais, pois provocam irritação, chegando a fazer feridas que servem como porta de entrada para infecções.

Não podemos deixar de lado tudo que foi dito no artigo anterior sobre perfumes porque, é claro, que um perfume bom é feito com ingredientes de alta qualidade e, portanto, se utilizado na pele ideal, terá uma durabilidade muito maior do que um perfume fraco, aquele feito com ingredientes de baixa qualidade. Outra questão é a categoria do perfume, isto é, uma água-de-colônia tem durabilidade muito menor, mesmo na pele ideal para a fragrância que ela tem, do que um Eau-de-parfum.

 

Com essas dicas, você pode ir às compras mais preparada. Mas não se esqueça: não abra mão de suas preferências e divirta-se!

 

Autora: Virgínia de Baumont

Via: Baumont Artisanat