De menino e de vento

De menino e de vento

 

Quando o céu veio chorando,

Não sabia que eu era menino,

Não conhecia o canto da flor.

 

Fiquei parado, desatento,

Aturdido com falas e murmúrios.

 

Queria correr, correr não podia,

Queria gritar, gritar não conseguia.

Tudo ficara quieto e sonolento.

 

E o vento, um vento insuflado,

Cortante como o velho Minuano,

Gostava de atordoar o rio.

 

As fileiras, que carregam sulcos,

Não pensavam direito, cambaleavam,

Na ponta de uma caneta vermelha.

 

A outra voz que gemia

Era a voz da ilusão,

Tão fatigada, tão desprovida.

 

Como em uma tormenta

Cabiam tantos motivos

De risos, de voltas, de suspiros?

 

Quando o céu prosseguiu chorando,

Percebi que, mesmo sendo menino,

Ainda faltava dançar nos pensamentos,

Carregar um coração mais corajoso,

Reconhecer a verdade soprando o vento.

 

 

Autora: Marcela de Baumont

 

Ficha técnica de Marcela de Baumont:

Formada em 1976, pela UFRGS, na Faculdade de Comunicação Social, é bacharel em Jornalismo, Relações Públicas, Propaganda e Publicidade. Exerce a atividade de revisora desde a faculdade, na Editora e Gráfica da UFRGS, e também para escritores de livros e revistas em áreas diversas. Como revisora em Propaganda, tem trabalhado para importantes clientes:  Giovanni+DraftFCB, Wunderman, Grey, Publicis, Africa, MPM. Seu passatempo favorito é ler um bom livro e escrever suas poesias.